sexta-feira, 3 de setembro de 2010

PARABÉNS BIÓLOGOS!

quinta-feira, 24 de junho de 2010

Vamos fazer A diferença

sexta-feira, 18 de junho de 2010

Biocombustíveis

Temos a noção básica de que combustíveis fósseis são os mais utilizados, entretanto estes são FINITOS, pois as reservas terrestres diminuem e findam, sem renovação. Além de poluirem absurdamente, causando muitos, e sérios, desequilíbrios no ambiente.
Então, entram os BIOCOMBUSTÍVEIS, que são materiais biológicos que, em combustão, tem a capacidade de gerar energia, realizando trabalhos.
No Brasil, o álcool proveniente da cana de açúcar é o tipo mais difundido de biocombustível. Ele causa uma poluição bem menor em comparação aos combustíveis derivados do petróleo.

Em se tratando do Biodiesel, que é um óleo virgem derivado de algumas plantas, tem-se a possibilidade de substituir quase todos os derivados do petróleo, SEM modificação nos motores. O biodiesel também tem a capacidade de lubrificar as máquinas ou motores, o que reduz possíveis estragos, além de não poluir e reduzir as emissões poluentes dos derivados de petróleo. Não é tóxico e também não explosivo nem inflamável à temperatura ambiente. E melhor ainda, não contribui para a chuva ácida, pois não apresenta enxofre na sua composição. A soja, o pinhão manso, mamona, e até mesmo o dendê são plantas que podem ser utilizadas para a produção de biodiesel. Este permite que se estabeleça um ciclo fechado de carbono no qual o CO2 é absorvido quando a planta cresce e é liberado quando o biodiesel é queimado na combustão do motor.

O grande mercado energético brasileiro e mundial poderá dar sustentação a um imenso programa de geração de emprego e renda a partir da produção do biodiesel. A produção de oleaginosas em lavouras familiares faz com que o biodiesel seja uma alternativa importante para a erradicação da miséria no país.
Fonte: Ecologia Hoje / biodieselbr.com

segunda-feira, 14 de junho de 2010

Em respeito e defesa da vida do animal

Um instrumento de defesa animal que acompanha as exigências da União Européia, é o Projeto de Lei n. 215/2007, a qual veda e regula práticas de atividades na área de produção animal, experimentação e controle populacional de animais em meio urbano. Para este projeto ser aprovado é um tanto complexo, pois parlamentares mal se importam com o ser humano, quem dirá com os pobres animaizinhos. Então, vamos nos unir e demonstrar nossa força com este abaixo assinado, que pede com urgência a aprovação do Código de Bem-Estar animal.


Contamos com a sua ajuda, SEMPRE!


sábado, 5 de junho de 2010

É HOJE!!!
Preserve o Meio Ambiente!

sexta-feira, 4 de junho de 2010

IX Seminário Brasileiro de Tecnologia Enzimática

Enzitec 2010

O evento será realizado de 10 a 12 de novembro de 2010 no Hotel Sheraton, localizado na Barra da Tijuca.

Vale a pena conferir.
Visitem o site: http://www.enzitec2010.com.br para se cadastrar e entender melhor sobre o tema.

Atenção: O limite de pessoas para o evento é de 400. Fiquem ligados! Inscrevam-se!

quarta-feira, 2 de junho de 2010

Salve o código florestal brasileiro

Esta manhã recebi um e-mail me informando que o agronegócio é o responsável por revisar o Código Florestal Brasileiro, o que é uma ABSURDO, e realmente acontece.
Um grupo de ruralistas está tentando destruir a legislação ambiental, reduzindo dramaticamente o tamanho das reservas ambientais. Isso lhes daria o direito de cortar 30% mais árvores na Amazônia e daria anistia a crimes ambientais. Nós precisamos mostrar nossa indignação e dizer a eles que o Brasil precisa de mais preservação, e não de desmatamento! Assine a petiçåo para salvar o Código no link abaixo:
http://www.avaaz.org/po/salve_codigo_florestal/98.php?cl_taf_sign=6bt91po6



As propostas absurdas incluem:
* Reduzir a Reserva Legal na Amazônia de 80% para 50%
* Reduzir as Áreas de Preservação Permanente como margens de rios e lagoas, encostas e topos de morro;
* Anistia aos crimes ambientais, sem tornar o reflorestamento da área uma obrigação;
* Transferir a legislação ambiental para o nível estatal, removendo o controle federal.
Essa não é uma escolha entre ambientalismo e desenvolvimento, um estudo recente mostra que o Brasil ainda tem 100 milhões de hectares de terra disponíveis para a agricultura, sem ter que desmatar um único hectare da Amazônia.
A proteção das florestas e comunidades rurais depende do Código Florestal, assim como a prevenção das mudanças climáticas e a luta contra a desigualdade do campo. Assine a petição para salvar o Código Florestal e depois divulgue!